A essência do skate: 5 dicas para mandar bem!

Você que está começando nessa vida cheia da mais pura e verdadeira liberdade e adrenalina, que é a vida em cima do skate, procure sempre duas coisas principais: técnica e sabedoria.

Aqui nesse post a gente vai falar das duas coisas, tendo em mente fornecer uma ajuda para quem é iniciante, mas já se encantou com toda a riqueza que esse estilo de vida tem para oferecer.

Muita gente começa com bastante intensidade de sentimento, mas acaba esquecendo que andar de skate não é como andar de bike quando você era criança.

Quando você se envolve a ponto de não conseguir imaginar seu mês, sua semana, ou mesmo seu dia sem dar um rolê de skate, aí a coisa começa a ficar acima da média. É um caso de relacionamento sério com o skate, hora de levar o esporte pra vida!

Então fique ligado com a gente para checar dicas que tanto os iniciantes quantos os profissionais seguem e reconhecem como orientações valiosas. Seja casualmente ou não, você pode sempre lembrar delas.

Desde dicas sobre procedimentos de segurança, que são, sim, indispensáveis para arrepiar no carteado, até ideias para você buscar inspiração e compreender o real significado de fazer cada manobra. Basudo sim, vacilão nunca!

5 dicas para virar o Jiraia do carrinho!

Andar de skate é um esporte radical. Vale a pena relembrar isso para ajudar a galera a entender: skate é radical, ou seja, envolve velocidade, envolve movimento intenso e envolve perigo.

Principalmente conforme o tempo passa e as manobras vão ficando mais elaboradas, os riscos de levar um belo capote aumenta. Algumas quedas podem, inclusive, causar sérias lesões e fraturas.

Tendo isso em mente, vamos começar com a primeira dica, que talvez esteja bem longe do que você está imaginando:

1. Supere seu medo de cair

Naturalmente, não estamos pedindo para ignorar os dispositivos de segurança, dos quais vamos falar já, já, e deixar o skate te capotar à vontade. No começo ele vai ser bem indomável, mas você irá controlá-lo com o tempo.

Mesmo assim, o perigo de cair e se machucar sempre vai existir. Até os trutas que já praticam há anos devem admitir esse risco! Isto acontece porque tudo que é preciso para cair é gravidade e velocidade… Duas coisas que encontramos de sobra na prática do skate.

Principalmente se você vier diretamente do sedentarismo para o skate, vale a pena começar a pensar em formas de lidar com o perigo onipresente de cair durante o rolê. Pode ser que você esteja mais acostumado com um estilo de vida que quase nunca apresenta riscos desse tipo.

Aí vai precisar aprender a encarar a vida de cima do carrinho sem esquentar demais a cabeça, do contrário, é possível que o rolê inteiro seja apenas uma grande fonte de stress e ansiedade, justamente o oposto do que é, na raiz.

Não tem capacete nem cotoveleira que elimine em 100% as chances de se machucar, porém, para evitar estragos maiores é preciso vê-las como parte do estilo.

2. Use seus equipamentos de proteção

capacete kronik 3 preto fosco

Agora sim, vamos falar dos indispensáveis equipamentos de proteção que precisam ser o seu primeiro pensamento na hora de planejar o rolê. Nada de usar “só por estilo” ou só quando for fazer manobras mais insanas.

Sempre use cotoveleiras, capacete e joelheiras, elas formam o combo básico e contribuem muito para evitar machucados e lesões graves. No site da Postal você pode encontrar todos esses itens, além das guardas de pulso.

Você pode até ser o gringo do rolê, mas não vai ser aquele que acha que não precisa de equipamentos de proteção, falou? Mesmo quando for praticar freestyle, leve (e use) seus equipamentos.

3. Mande bem na hora de escolher o shape

Aquela parte do carrinho em cima da qual a gente fica em pé é chamada de shape. O shape é importante porque vai determinar o feeling na hora em que você estiver pronto pra ação.

Além disso, ele pode auxiliar ou atrapalhar na hora de realizar as manobras. Na real, tudo depende do estilo que você segue e tenta desempenhar. A partir disso, alguns modelos serão mais interessantes do que outros.

Quem está iniciando, naturalmente, não tem estilo definido ainda, então, o recomendado é usar um carteado de shape maior, que favoreça o ganho e a recuperação de equilíbrio

Isso é bom porque, lembrando, o maior desafio de quem começa é ficar em pé no skate. Um passo de cada vez, não é mesmo? Você ainda pode manjar mais sobre como escolher o shape certo aqui no blog.

4. Aposte no freestyle

Freestyle é daora, pratique! Essa modalidade é aquela em que se usa uma pista sem obstáculos, ou seja, uma pista mais fácil de se andar.

Sabemos que talvez o que tenha chamado sua atenção nesse esporte sejam as manobras complexas, só que elas exigem um preparo e habilidade maiores. Com certeza você vai chegar lá, mas no início vale a pena investir treino nas coisas mais básicas e fundamentais.

Não precisa se afobar para incorporar obstáculos ao seu estilo, quando você menos esperar já vai estar em um nível bem avançado, inclusive orientando outros novatos!

5. Crie laços

Aqui a gente já entra mais no campo da sabedoria, galera. Pessoas têm formas e intensidades diferentes de lidar com a realidade e com as dificuldades. Isso continua sendo verdade no caso dos esportes.

Muitas vezes nós até transferimos todo o stress e pressão dos problemas pessoais para as pistas. Esses problemas vão se relacionar com as decepções e dificuldades do desempenho esportivo, o que pode ter uma carga bem pesada para algumas pessoas.

De forma geral, todo mundo precisa de apoio para melhorar, logo, não espere chegar em um ponto de extrema insatisfação ou frustração para começar a cultivar relações que vão te dar suporte na sua caminhada.

Mais do que interesse em ter suporte, pense também em fornecer suporte. Não é só uma questão de saúde, mas uma questão de se alinhar com a proposta do próprio skateboard, que é a de parceria entre os praticantes.

E aí, acha que as dicas foram úteis pra te ajudar a pegar uma visão legal? Esperamos que sim, que tal deixar um comentário aqui antes de continuar navegando pelo nosso blog? Adoraríamos saber o que você achou do conteúdo. Nos vemos no próximo post!

Deixe um comentário